Morre aos 72 anos o radialista esportivo Miguel Squeff

Texto: avozdeanapolis

Morreu neste domingo (18) o narrador esportivo Miguel Squeff, que há mais de 50 anos comandava os Titulares da São Francisco, programa esportivo de rádio que ia ao ar todos os dias. Atualmente estava à frente dos programas Tocando de Primeira e Resenhando. Squeff atuou nas extintas Rádio Carajá, Rádio Santana e também na Rádio Imprensa de Anápolis.

Miguel foi o criador dos jargões esportivos “tá lá dentro” e “pode vibrar, torcida tricolor”. “Luciano do Valle, maior nome da televisão brasileira, morto antes da Copa do Mundo, em 2014, pediu autorização a Miguel Squeff para usar o jargão “tá la dentro”, em suas transmissões na TV. Antônio Porto, outro gigante da comunicação, também adaptou jargões para suas narrações esportivas”, afirma o portal Futebol Interior em matéria sobre os 50 anos de carreira do radialista anapolino.

O radialista Miguel Squeff Começou sua carreira como repórter e teve sua ascensão profissional no período em que a Anapolina chegou à elite do Campeonato Brasileiro, entre as décadas de 1970 e 1980. “Um radialista se tornava também um empresário”, afirmou certa vez em entrevista.

Sua história como narrador começou em 1971. Em 1979, fundou sua empresa de comunicação e até o início dos anos 1980 possuía uma das poucas equipes completas de rádio do Estado de Goiás, com aproximadamente 10 profissionais.

“A partir da década de 80, me transformei em empresário, terceirizando programas de rádio”, disse o radialista Miguel Squeff. Segundo seu próprio relato, atuou na antiga TV Tocantins, juntamente com o jornalista Nilton Pereira. O final dos anos 1980 e início da década de 1990 marcaram sua principal fase na locução esportiva.

Por meio de uma parceria com Jorge Kajuru, Miguel Squeff cobriu em 1989 a antiga Copa Sul-Americana, atual CONMEBOL. Em 1990, fez a cobertura da Copa do Mundo da Itália. As transmissões internacionais lhe deram prestígio e reconhecimento.

“Eu procuro me manter sempre atualizado”, dizia. Em um determinado momento, Miguel Squeff precisou escolher entre o Rádio e a TV. Preferiu a primeira opção. Seu trabalho inovador em Anápolis levou os repórteres de rádio para as arquibancadas dos estádios, acompanhado junto com a torcida os lances das partidas.

Na Rádio São Francisco, nos últimos anos, levava ao ar diversos boletins esportivos diários, desde o início da manhã. O Café com Bola, por volta das 7h, transmitia os principais lances do mundo da bola para os ouvintes. E às 11 horas, apresentava mais um programa esportivo na São Chico. À noite, o programa Tocando de Primeira encerrava seu expediente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *