Democracia e transparência a serviço do futebol goiano

Presidir a direção da Federação Goiana de Futebol é uma grande responsabilidade que exige, sobretudo, paixão pelo futebol, mas também capacidade de gestão e habilidade para dialogar com as diversas perspectivas das ligas, clubes, dirigentes e torcedores. Temos uma proposta de gestão, mas não temos receita pronta. E esta é uma das mudanças que a sociedade exige: partilha de responsabilidades.

Administrar uma entidade com tantos e diferenciados níveis de interesses e olhares requer uma gestão democrática e transparente. O dirigente maior da federação deve atuar diariamente como interlocutor entre os diversos atores do futebol goiano, atuando como um árbitro, mas também sendo zagueiro, meio de campo e atacante.

Democratizar a gestão significa adotar medidas somente depois de coletivamente deliberadas, buscando alcançar ao máximo o consenso e a legitimidade de cada ato. Respeitar o pensamento alheio e colher sugestões entre dirigentes de ligas, clubes e torcedores será essencial ao sucesso coletivo. Uma gestão democrática harmoniza as relações e é fator essencial ao sucesso coletivo.

A transparência é uma exigência da sociedade contemporânea, que não admite mais reuniões a portas fechadas e gavetas trancadas. Uma gestão transparente alcança a credibilidade e consegue, por isso mesmo, ampliar sua ação na medida em que merece a confiança de todos os envolvidos na missão de fazer o futebol goiano retomar seu prestígio nacional. Não temos receita pronta, mas sabemos os melhores caminhos. Por isso apresentamos a Chapa Federação para os Clubes, na disputa pela presidência da FGF.

Democracia e transparência serão os eixos-guia de nossa gestão, que pretende modernizar a administração da federação para assegurar qualidade ao nosso futebol, a partir da profissionalização das gestões e do diálogo permanente entre todos os interessados no assunto, inclusive o Poder Público, que deve ser convidado a dar sua contribuição também de forma transparente.

Com uma gestão profissional, será possível também profissionalizar nosso futebol, trazer os torcedores de volta aos estádios e movimentar esta extraordinária economia que gira em torno do esporte predileto da nação brasileira. Nossa opção será pela via do diálogo com todos os atores, para fortalecer nossa presença nos certames nacionais, para retomar um espaço que legitimamente ocupamos e que tantas alegrias trouxe ao povo de Goiás.

 

Lélio Vieira Carneiro Júnior

Empresário, desportista e candidato à presidência da FGF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *